A Prof. e Pesquisadora Regina Célia de Oliveira fala sobre o Reflora e seu trabalho no Kew Garden

Autor: Regina Motta - Data: 13/12/2013

Regina Célia de Oliveira é Doutora em Botânica pela Unicamp, Professora da UNB, especialista em Taxonomia de Gramíneas, coordenou a criação do banco de dados de plantas ornamentais da AuE Soluções e Paisagismo Digital. Está em Londres, desenvolvendo, com outros pesquisadores brasileiros, o trabalho de repatriar as espécies brasileiras que foram levadas para o exterior, desde a época do Descobrimento: o projeto Reflora.

Aue Soluções: Gostaríamos que nos falasse um pouco sobre si, como foi a sua escolha desta bela profissão, suas realizações e projetos.

A escolha foi casual mas, me apaixonei pela taxonomia, logo no início do curso de Biologia. Inicialmente, foi uma atração filatélica mesmo, queria saber os nomes, coletar amostras e montar exsicatas de herbário, cuidando como se fosse uma coleção de selos. As Gramíneas eram as mais difíceis de identificar e, portanto, desafiadoras e de maior valor para mim. Posteriormente, me apaixonei pela beleza pouco óbvia das inflorescências e das plantas como um todo. A frequência, abundância e a notável amplitude de usos, também estimularam meu interesse pois sou uma pessoa prática.

Aue Soluções: Ser professor é uma vocação, se assim não fora, muitos deixariam o ensino, tendo em vista as dificuldades que enfrentam os mestres em nosso pais. Como a senhora vê a sua missão de ensinar?

Particularmente, adoro dar aulas.

Primeiro, por que o contato com a juventude revigora e as novas idéias e olhares estimulam minha mente, me fazem rever conceitos e aprendo muito ao preparar as aulas. Responder perguntas faz com que possamos pensar por outro ângulo e isso traz descobertas...
O outro lado que os professores têm, e às vezes não gostam de admitir, é o exibicionismo mesmo rsrsrss. Muito bom ter olhos, interesses e ideais compartilhados e espelhados em sua figura, que se posta num "palco", com toda a atenção dos garotos... É minha cartase, momento sem problemas, só ciência e troca. Como sempre dei aulas em curso superior, a troca é intensa já que estamos ensinando e discutindo uma profissão.

Aue Soluções: Este Projeto Reflora nos parece de grande importância. Como está sendo o trabalho de vocês aí? Quais as dificuldades encontradas?

A iniciativa do CNPq de repatriar as imagens e informações dos espécimens das primeiras plantas coletadas pelos botânicos dos séculos XVIII, XIX e XX no Brasil é ímpar e importantíssima para o reconhecimento da diversidade nacional, que é uma das metas da Convenção da Diversidade Biológica.

Regina Oliveira no Kew Garden, Londres



O projeto focou os herbários Royal Botanic Gardens de Kew (RBGK) da Inglaterra e o Muséum National dHistoire Naturelle de Paris (MNHN) - França. É uma honra e uma grande oportunidade para nós, botânicos e estudantes, participar do projeto pois, o acesso a essas coleções e o repatriamento de imagens e informações, facilitarão projetos futuros, respondem perguntas antigas e atuais pois trazem um cabedal impressionante de informações.
A maior dificuldade é, basicamente, o pequeno número de pessoas para atingir as metas desse projeto hercúleo pois, nos séculos passados, os europeus valorizavam enormemente o trabalho do taxonomista e financiavam ou compravam, a bons preços espécimens de plantas e animais oriundos de outros continentes, assim como se vendem selos e moedas antigas - a filatelia medieval com organismos vivos.... Vários naturalistas ou homens comuns, vinham para as Américas coletar organismos, alguns fugindo dos serviços militares durante a primeira guerra, à busca de sustento ou aventura e por aqui permaneciam 5, 10 ou mais anos, apenas coletando amostras e enviando-as para a Europa. Um verdadeiro "saque".

Aue Soluções: Nossos leitores apreciariam muito se nos contasse um pouco sobre o Kew Garden, a organização, detalhes que a impressionaram, diferenças entre o que temos no Brasil.

Muitos dos herbários do Brasil não deixam a desejar quando comparados aos europeus e, para nós, a tarefa de preservar os espécimens é dificultada pelo clima, que privilegia a proliferação de insetos e fungos que podem danificar a coleção.

A diferença maior está, na quantidade de amostras armazenadas, fator diretamente relacionado à história dos "saques" nos séculos passados.


Assim, enquanto o maior herbário do Brasil, que é o Museu Nacional do Rio de Janeiro, preserva cerca de 1 milhão de amostras, o herbário do Kew Gardens conserva algo em torno de 7 milhões. E a "idade" do material preservado.

Lineu é considerado o "pai" da taxonomia e sua grande obra, data de 1570! Desde essa época os herbários europeus vem sendo alimentados.

Relativo ao Jardim Botânico, as diferenças são efetivas. O Brasil não tem tradição e não valoriza tanto quanto o europeu, o cultivo de plantas.

Regina Oliveira no Kew Garden, Londres



Mesmo no maravilhoso Jardim Botânico do RJ não há estufas e amostras tão numerosas e preservadas quanto as que estão disponíveis em Kew. E, além dos Jardins Botânico do RJ e de Curitiba, que são amostras minimizadas de um Kew Gardens, pouco se fala ou conhece dos demais jardins botânicos brasileiros.

O descaso efetivo do poder público, como acontece com o Jardim Botânico de Brasília - e que é um dos mais lindos e de vanguarda, por ter como proposta, a preservação e divulgação das espécies nativas. O Inhotim em Minas Gerais, vem mudar um pouco essa concepção.

Interior do herbário do Kew Garden



AuE Soluções: Quando falam em repatriar nossas plantas, na verdade é um eufemismo, não é? Elas não virão fisicamente pra o Brasil, pode nos relatar como é isso? Vocês têm encontrado raridades, plantas já extintas e desconhecidas?

Na minha opinião as amostras, pelo menos as duplicadas, deveriam vir mas não há como fazer o "saque" reverso já que, uma vez que foram incorporados às coleções europeias e o Brasil não tinha leis de proteção quando as plantas foram levadas, isso é uma tarefa quase impossível.

De outra forma, temos sentido uma liberdade muito grande para examinar a coleção muito bem conservada e organizada, o que minimiza a necessidade de "repatriamento" da amostra até porque, as imagens que estão sendo obtidas, em scanners especiais e desenhados para essa finalidade, têm uma qualidade impressionante e então temos a chance de analisá-los em aumento de cem o que, geralmente, é muito mais que os microscópios estereoscópicos nos permitem. A idéia globalmente aceita é que as amostras de herbário sejam cada vez menos manipuladas.

Quanto a novidades e raridades eu peço que esperem um pouco mais até que saiam as publicações que vão advir desse trabalho rsrsrsr. O ineditismo é a "alma" da publicação científica!

AuE Soluções: Qual seria a mensagem que daria aos estudantes que pensam em se dedicar ao ensino e pesquisa?

Bem vindos, colegas!

Veja também

* Botânica para paisagistas: Afinal para que isto tudo ?
* Plantas ornamentais: Botânica para Paisagistas I
* Plantas ornamentais: Botânica para Paisagistas II
* Plantas ornamentais: Botânica para Paisagistas III


Compartilhar:


Anterior Próximo

Biblioteca gratuita sobre paisagismo.

Comentar
Nome:
E-mail:
Comentário:
Avalie está matéria:



1 - Autor: leticia - Data: 02/12/2018 20:17:06

soy profesora y paisajista



2 - Autor: leticia - Data: 02/12/2018 20:17:00

soy profesora y paisajista



3 - Autor: leticia - Data: 02/12/2018 20:16:51

soy profesora y paisajista




Entrevista
Mesa redonda Visões da Paisagem: veja a opinião dos mestres

Veja vídeos com trechos da mesa redonda sobre paisagismo no lançamento do DVD 7 Visões da Paisagem.

A Prof. e  Pesquisadora Regina Célia de Oliveira fala sobre o Reflora e seu trabalho no Kew Garden
A Prof. e Pesquisadora Regina Célia de Oliveira fala sobre o Reflora e seu trabalho no Kew Garden

Regina Célia de Oliveira é Doutora em Botânica pela Unicamp, em Londres, no Projeto Reflora

Botânica
Alelopatia: Estudo da relação das plantas entre si
Alelopatia: Estudo da relação das plantas entre si

Caracteriza as interações bioquímicas entre todos os tipos de plantas, inclusive entre microorganismos

AuE Network
Novas plantas no Paisagismo Digital - dezembro 2013

Veja a relação de plantas publicadas no Paisagismo Digital e no AuE Network em dezembro de 2013

Dicas Técnicas
Os benefícios de manter seus Softwares atualizados
Os benefícios de manter seus Softwares atualizados

Entenda a importância de manter seu software atualizado e aprenda como atualizar os programas AuE Paisagismo 2012.

Seleção Clássica de Itens no AutoLANDSCAPE
Seleção Clássica de Itens no AutoLANDSCAPE

Agora você pode utilizar uma seleção de itens que vai ajudar ainda mais no seu ganho de tempo ao utilizar o AutoLANDSCAPE

PhotoLANDSCAPE: Recursos para facilitar a seleção de objetos
PhotoLANDSCAPE: Recursos para facilitar a seleção de objetos

Conheça recursos para facilitar a seleção e manuseio de objetos em sua fotomontagem utilizando o PhotoLANDSCAPE

HydroLANDSCAPE: Tela Clássica na troca de bombas
HydroLANDSCAPE: Tela Clássica na troca de bombas

Veja como foi incorporada a seleção clássica na troca de bombas para irrigação no HydroLANDSCAPE.

Ecologia
Controle Biológico: Insetos de vilões a parceiros
Controle Biológico: Insetos de vilões a parceiros

Conheça as formas de Controle Biológico que auxiliam no controle de pragas.

Notícias
Realizações da Aue Soluções em 2013

Veja a retrospectiva 2013 da AuE Soluções. Muitas realizações, novos produtos, lançamento de DVD e muito Mais!

Super planta no combate à fome mundial
Super planta no combate à fome mundial

Technion University, de Haifa, Israel, em uma pesquisa no fornecimento mundial de alimentos

Arquivo
Edição Anterior

Revista AuE Paisagismo Ano 10 No 114 / Novembro de 2013

Conteúdo completo

Lista com todas as Edições da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10

Matérias mais comentadas da revista

Projetos
Projeto Firenze

Angela Cristina Herberts Haag

Lista de Projetos

Lista com Todos os Projetos da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10 de Projetos

Lista com 10 projetos mais comentados

Agenda
Conversar no Whatsapp +55 (32) 9 9138-8279

X

Revista gratuita AuE Paisagismo


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!




Revista no seu E-mail

*
*
*