Descrição Taxonômica das Tillandsias - final

Autor: Rômulo Cavalcanti Braga - Data: 08/12/2012

Completando as informações da matéria publicada no número anterior da Revista AuE paisagismo:

Inflorescências

Ao contrário das Orquídeas, as flores das Tillandsias são relativamente simples. É a inflorescência o que pode parecer um pouco mais complexa. Apesar de existirem espécies de inflorescências unifloras (uma flor) como a Tillandsia Albertiana, as Tillandsias têm inflorescências compostas.
As inflorescências compostas podem assumir a forma de pontos simples como as Tillandsias Dyeriana, Tillandsia Cyanea, ou múltiplos como na Tillandsia Caput Medusae, formas mais ou menos globulares (na esfera) como nas Tillandsias Strictas


T. Dyeriana


T. Cyanea


T. caput Medusae


T. Stricta


    . Em todos os casos, as brácteas podem apresentar uma espécie de folhas modificadas, e muitas vezes coloridas para proteger a inflorescência ou as flores. Podemos distinguir:
  • Brácteas Primárias - grandes, elas geralmente estão localizadas na base da inflorescência ou no ouvido.

  • Brácteas Florais - menores e muitas vezes mais coloridas do que as brácteas primárias, elas estão na base das flores.

  • Brácteas Secundárias - ou terciárias são as inflorescências ramificadas.


Como a maioria das monocotiledônias, as flores das Tillandsias são trímeras, isto é, os órgãos florais estão presentes em múltiplos de três. Assim, existem três sépalas, três ou seis estames, um pistilo (com um ovário de três carpelos soldados delimitando três caixas). O pistilo e os estames podem ou não exceder a corola. Isso é conhecido como estames ou pistilos incluídos conforme o caso.
Ao contrario da Phalaenopsis e mais outras Bromélias, as Tillandsias têm ovários concursos super, que quer dizer que estão por cima das pétalas e sépalas. Apesar da aparente linearidade da estrutura das flores das Tillandsias, ainda há uma grande diversidade de formas que incluem, por exemplo, o caso das flores tubulares, a corola é composta por pétalas sobrepostas (mas não soldadas ou livres).


T. Tenuifolia - flores clássicas


T. Bulbosa - flores tubulares

Da Semente à Flor

As sementes das Tillandsias estão contidas em frutos deiscentes chamados de capsulas. Elas são relativamente pequenas e têm crista, o cabelo que promove a propagação, pelo vento (anemocoria). Além disso, várias sementes da mesma capsula podem se tornarem tangíveis em uma bola de sementes a ser retido pela operadora (que pode ser o próprio prato) pelo cabelo.


Sementes de Tillandsias

Note-se que as sementes das Tillandsias epífitas não podem esperar completar seu ciclo de vida se cairem no chão. Essas semente, ao contrario daquelas de Orquídeas, são fornecidas com os nutrientes que serão utilizados pelo embrião durante a germinação.
As sementes das Tillandsias são muito resistentes à secagem e ao calor, mas as mudas, uma vez evidentemente, são muito frágeis. Os melhores índices de germinação são obtidos quando as sementes, identificadas por suas plumas e forma de uma bola fibrosa, ainda estão a aderidas à planta mãe.
Em seguida, observamos o crescimento de mudas em um único lugar para formar uma bola de Tillandsias jovens suspenso após as inflorescência secas da planta mãe. O crescimento das mudas é muito lento no inicio, mas acelera-se progressivamente. São necessários alguns anos (de quatro a dez dependendo da espécie) entre a germinação e a primeira floração.
Da Flor à Semente
Nas Tillandsias o florescimento varia de acordo com a espécie. Geralmente as flores duram apenas alguns dias e até mesmo horas, como no caso da Tillandsia Dyeriana, mas isso é compensado pelo grande numero de flores, as vezes dezenas, que alternadamente se abrem na base da inflorescência ate o seu final (raramente em outra direção).
Como em todas as angiospermas, as flores brácteas servirão (para além de proteger os ovários) para atrair os agentes polinizadores, sem os quais o ciclo não poderá continuar. No entanto, a lista de potenciais polinizadores é bastante diversificada nas Tillandsias:


  1. Beija-Flores
  2. Borboletas
  3. Abelhas
  4. Besouros
  5. Morcegos
  6. Mamíferos
  7. Ventos


Note-se que algumas espécies são muito perfumadas. Exemplos que podemos citar aqui: Tillandsia Crocata - com um aroma muito poderoso, Tillandsia Duratii, Tillandsia Straminea. Novamente, o perfume exalado não para o prazer do homem, mas para atrair os agentes polinizadores.


T. Crocata

No caso da polinização por insetos, ele vai querer se alimentar do néctar presente na parte inferior da corola e, assim, vai tocar as antenas responsáveis pelo pólen. Uma vez reiniciado, ele certamente irá visitar outra flor (Tillandsia, por exemplo) e depositará no estigma o pólen anteriormente colhido. Nesta fase, a flor é polinizada. Uma vez que os grãos de pólen são presos ao estigma, eles vão produzir um tubo polínico que desce ao longo do estilo e se mistura com o de ovos contidos no ovário. O ovário da flor polinizada, então, se transforma em frutas e capsulas que contêm sementes.
Este processo é muito lento e demora cerca de seis meses a um ano nas Tillandsias. Uma vez com o fruto maduro, as paredes vão secar e quebrar, permitindo a liberação de sementes que vão descolar ou permanecerem solidarias com a fruta. Cada fruto pode conter dezenas e até centenas de sementes.

Observação - A maioria das Tillandsias são autógamas, ou seja, elas podem se polinizarem sem ajuda de agentes polinizadores, com seu próprio pólen (fato conhecido como auto-polinização). Isto lhes permite maximizar as chances de produzir sementes e resulta no surgimento da cultura das frutas, mesmo em ambientes fechados no inverno, quando não há nenhum inseto.
Existem também algumas espécies cleistógamas, que auto-polinizam as flores enquanto elas ainda estão fechadas.

Reprodução Vegetativa

A maioria das espécies de Tillandsias podem produzir muitos brotos laterais. Isso é chamado depropagação vegetativa ou assexuada. Na natureza, os brotos laterais podem ser postados, mas muitas vezes permanecem presos à planta mãe e, eventualmente, cobrindo-a já morta. Durante esse tempo, a planta mãe irá alimentar seus filhotes. Isso é importante para a sua proliferação em cultura. O lançamento pode ter várias formas.

(polimorfismo):


  • Elas podem ser idênticas à planta mãe, falamos neste caso de descargas isomírficas
  • .
  • Elas podem ser diferentes da planta mãe. Neste caso, falamos de lançamentos heteromórficos
  • .

Rejeição de encontrar a forma da planta mãe como adulta.
Algumas Tillandsias são monocárpicas, ou seja, só florescem uma vez e morrem. Um exemplar vai viver bem de três a sete anos em média. Mas a natureza é sábia e a maioria das espécies são lançamentos monocárpicos. A planta mãe então alimentará os seus filhos até sua morte, o que ocorre entre um a cinco anos após o florescimento, dependendo da espécie.


Obs:Interessados na compra de exemplares desta variedade ou outras, favor solicitar Catálogo Fotográfico pelo e-mail:romulocbraga@uol.com.br

Rômulo Cavalcanti Braga Facebook


Compartilhar:




Comentar
Nome:
E-mail:
Comentário:
Avalie está matéria:



1 - Autor: ednasenade oliveira - Data: 23/08/2016 23:36:59

tillandeas ,são lindas gostaria muito de faser .pedido como gostaria tmb as Bromelias. se possivel.



AuE Responde: Você pode ter estas e outras plantas pesquisando pelo nome científico ou popular no www.paisagismodigital.com, aparecem as fotos, clique nas fotos verá informações e fornecedores em todo o Brasil. Escolha e mande uma mensagem para eles.



2 - Autor: Rômulo Cavalcanti Braga - Data: 04/01/2013 09:47:12

Venho mais uma vez agradecer de coração os comentários elogiosos sobre meus textos. Isso é um grande incentivo a dar continuidade as pesquisas e comprovam que verdadeiramente estou no caminho certo. Obrigado e um Ano Novo pleno de luz, paz e realizações a todos. Fraternal abraço, Rômulo



3 - Autor: romulocbraga - Data: 03/01/2013 21:00:45

Venho mais uma vez agradecer de coração os comentários elogiosos sobre meus textos. Isso é um grande incentivo a dar continuidade as pesquisas e comprovam que verdadeiramente estouno caminho certo. Obrigado e um Ano Novo pleno de luz, paz e realizações a todos. Fraternal abraço, Rômulo



4 - Autor: Maria Cleuza de Matos - Data: 30/12/2012 13:11:30

Para nós professores não só de Biologia ,mas como eu de História e Geografia é muito valioso



5 - Autor: Clarisse Kopp - Data: 28/12/2012 10:27:44



6 - Autor: jean de souza e silva - Data: 22/12/2012 11:49:03

Muito Bom...




Entrevista
Arquiteto Paisagista Marcos Malamut: projetos e Curso Proflora
Arquiteto Paisagista Marcos Malamut: projetos e Curso Proflora

Arquiteto, graduado pela FAUUSP em 1994, fala de seu trabalho e de seu Curso Proflora

Botânica
Descrição Taxonômica das Tillandsias - final
Descrição Taxonômica das Tillandsias - final

Informações sobre inflorescência das tillandsias, polinizadores, reprodução de Tillandsias

Os cultivares e o banco de dados de plantas da Aue Soluções
Os cultivares e o banco de dados de plantas da Aue Soluções

Saiba por que classificar até cultivar? Por que não classificar apenas até espécie?

Dicas Técnicas
PhotoLANDSCAPE 2012: Utilizar sombras para aumentar o realismo da fotomontagem
PhotoLANDSCAPE 2012: Utilizar sombras para aumentar o realismo da fotomontagem

Dicas de como utilizar o efeito de sombreamento para dar mais realismo nas fotomontagens

AutoLANDSCAPE e HydroLANDSCAPE 2012: Sistema de detalhamento para os projetos
AutoLANDSCAPE e HydroLANDSCAPE 2012: Sistema de detalhamento para os projetos

AutoLANDSCAPE e HydroLANDSCAPE 2012: Detalhamento de projetos automático

Novidades
Feliz Natal
Feliz Natal

Feliz Natal

Código Florestal Brasileiro e Bolsa Verde
Código Florestal Brasileiro e Bolsa Verde

Cotas de Reserva Ambiental (CRA), títulos de áreas com vegetação que podem ser usados para compensar déficits de Reserva Legal.

Quer testar os novos softwares da Aue soluções? Fique sabendo como.
Quer testar os novos softwares da Aue soluções? Fique sabendo como.

Veja como fazer para ser um Beta tester dos softares 2012.

Notícias
Aue Paisagismo homenageia Niemeyer, o arquiteto que promoveu o paisagismo de Burle Marx.
Aue Paisagismo homenageia Niemeyer, o arquiteto que promoveu o paisagismo de Burle Marx.

Oscar Niemeyer, que morreu no último dia 5, foi um dos profissionais mais premiados e influentes do mundo

IAB-SP anuncia vencedores da sua premiação bianual
IAB-SP anuncia vencedores da sua premiação bianual

Conheça os projetos escolhidos em categorias como urbanismo, paisagismo, edifício, habitação de interesse social e restauro e requalificação

Arquivo
Edição Anterior

Revista AuE Paisagismo Ano 9 No 102 / novembro de 2012

Conteúdo completo

Lista com todas as Edições da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10

Matérias mais comentadas da revista

Projetos
Lista de Projetos

Lista com Todos os Projetos da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10 de Projetos

Lista com 10 projetos mais comentados

Agenda
Agenda

Agenda de Eventos de Paisagismo

Conversar no Whatsapp +55 (32) 9 9138-8279

X

Revista gratuita AuE Paisagismo


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!




Revista no seu E-mail

*
*
*