HydroLANDSCAPE: Tubos coloridos x monocromáticos

Autor: Guilherme Motta de Oliveira - Data: 04/10/2011

"Ordem e progresso". Uma pequena alteração nesta frase, retirada da bandeira do Brasil, é o ponto central deste artigo: "ordem É progresso".

Ordenar, organizar é também uma forma de padronizar. Todo trabalho técnico deve ser padronizado, pois isto torna os métodos e as ferramentas, universais. Por exemplo, se cada carro tivesse o pedal de freio numa posição diferente, seria muito complicado dirigir um carro diferente do seu. É interessante perceber, também, que a padronização não limitou a criatividade dos projetistas, pois existem centenas de modelos de carros diferentes, mas com o pedal de freio no mesmo lugar.

Quando lidamos com o desenho técnico, o orgão brasileiro que dita as normas que devemos seguir é a ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. Graças a estas normas, um projetista conseguem ler o projeto feito por outro.

Um exemplo das convenções utilizadas é o uso de espessuras de linhas diferentes para distingüir planos, móveis e paredes. Assim, no desenho abaixo, as paredes estão desenhadas com espessura 0.5mm e as cotas com espessura 0.1mm.

Desenho técnico



As dimensões das espessuras são baseadas nas antigas canetas nankim que normalmente variam de 0.1mm à 2.0mm. Desse modo, quando desenhávamos na prancheta, usávamos uma caneta 0.5mm para paredes, uma 0.1mm para cotas, uma 0.2mm para móveis, e assim por diante.

Essas espessuras definem as linhas que surgem em um primeiro, segundo, terceiro plano e etc. No caso acima, as paredes, que estão sendo cortadas, foram desenhadas sem linhas grossas (normalmente entre 0,5 e 0,8mm) por estarem num plano muito próximo do olhar do observador. As demais linhas serão desenhadas em espessuras mais finas, de acordo com o aumento da distância em relação ao observador.

E onde entra a tubulação?

O projetista de irrigação muitas vezes desenha os tubos com cores diferentes para que seja fácil diferenciar os diâmetros dos tubos. Estes desenhos são válidos no âmbito do escritório, mas normalmente não servem para uma construtora ou prefeitura, que utilizam o desenho técnico normatizado.

Para o HydroLANDSCAPE não faz diferença a preferência do projetista, o programa lida com as duas formas de trabalhar.

HydroLANDSCAPE: tubulação colorida x monocromática


HydroLANDSCAPE: tubulação colorida x monocromática

A configuração de cores para tubos no HydroLANDSCAPE busca a simplicidade, portanto os tubos são configurados para ter a cor correspondente ao diâmetro nominal do tubo.

Assim o tubo de 20mm terá a cor 20, e o tubo de 40mm terá a cor 40, no CAD.

O projetista pode escolher as cores para cada tubo clicando em

e depois selecionando a aba Cores, e definindo a cor de cada tubo.

HydroLANDSCAPE alterando a definição de cor de cada tubo


HydroLANDSCAPE alterando a definição de cor de cada tubo

Por outro lado, utilizando tubos monocromáticos é preciso indicar o diâmetro nominal com uma cota (um texto). O HydroLANDSCAPE faz isto de forma automática e o resultado deve ser parecido com o da imagem abaixo:

HydroLANDSCAPE: tubulação monocromática


HydroLANDSCAPE: tubulação monocromática

Abaixo outro exemplo, o mesmo desenho com a tubulação colorida.

A cor do tubo corresponde ao seu diâmetro nominal


HydroLANDSCAPE: A cor do tubo corresponde ao seu diâmetro nominal


Compartilhar:


Anterior Próximo

Softwares para paisagismo e irrigação.

Comentar
Nome:
E-mail:
Comentário:
Avalie está matéria:



1 - Autor: omar gabriel da silva lemos - Data: 05/05/2012 07:20:39

Por outro lado, utilizando tubos monocromáticos é preciso indicar o diâmetro nominal com uma cota (um texto). O HydroLANDSCAPE faz isto de forma automáti
Faltou dizer como o hydro faz a cota automática dos tubos..vc tem que clicar no botão cota automática para que este processo seja executado..correto?
se não fizer isto nada acontece...




Entrevista
Saiba como projetos de paisagismo beneficiam regiões em que a seca é recorrente
Saiba como projetos de paisagismo beneficiam regiões em que a seca é recorrente

O paisagista Gilmar Fernandes explica como um bom projeto de paisagismo pode beneficiar regiões de seca.

Botânica
Jardins Verticais: Esta ideia pegou em Portugal?
Jardins Verticais: Esta ideia pegou em Portugal?

Os tão falados jardins verticais estão ocupando seu lugar no mercado de paisagismo. Saiba como esta Portugal recebeu essa inovação.

Dicas Técnicas
Quer aumentar o seu banco de dados e melhorar a qualidade das fotos? Veja o tutorial
Quer aumentar o seu banco de dados e melhorar a qualidade das fotos? Veja o tutorial

Saiba como baixar itens e mapas novos para seu banco de dados.

AutoLANDSCAPE: Trabalhando divisores com curvas
AutoLANDSCAPE: Trabalhando divisores com curvas

Aprenda a inserir divisores de canteiros com curvas em seu projeto.

PhotoLANDSCAPE: Que tal utilizar fotos melhores em seus projetos?

Saiba como utilizar fotos melhores em suas fotomontagens.

HydroLANDSCAPE: Tubos coloridos x monocromáticos
HydroLANDSCAPE: Tubos coloridos x monocromáticos

Artigo discute a padronização do uso de linhas coloridas para representar tubos em projeto técnico de irrigação

Ecologia
O Paisagismo que te acompanha da cozinha até seu banho
O Paisagismo que te acompanha da cozinha até seu banho

Saiba como ter sua própria horta em casa e usufruir de seus benefícios.

Novidades
Saiba como foi a 14º Fiaflora e o Concurso Nacional de Paisagismo Urbano
Saiba como foi a 14º Fiaflora e o Concurso Nacional de Paisagismo Urbano

Veja como foi o evento como foi a participação da AuE Soluções nas atividades paralelas.

Notícias
Queimadas destróem 25% da Floresta Nacional de Brasília
Queimadas destróem 25% da Floresta Nacional de Brasília

Uma das maiores riquezas da fauna e flora brasileira, a Floresta Nacional de Brasília, sofre com incêndio criminoso.

Portugal incentiva cidadãos a produzir em  espaços não aproveitados
Portugal incentiva cidadãos a produzir em espaços não aproveitados

Saiba o que é e como funciona o banco de terra.

"Praças Brasileiras" analisa características paisagísticas desses espaços desde o período colonial
"Praças Brasileiras" analisa características paisagísticas desses espaços desde o período colonial

O autor Fábio Robba destrincha a história das praças do Brasil e seus aspectos paisagísticos.

Curso de Jardins de Cobertura e Jardins Verticais em Portugal

Aprenda algumas especialidades do paisagismo no curso que será oferecido em duas edições em Portugal

Curso de Formação de Floristas VieDecor em Porto Alegre

Adquira mais conhecimento profissional com o curso de Preparação de Floristas da VieDecor

Arquivo
Edição Anterior

Revista AuE Paisagismo Ano 8 No 88 / Setembro de 2011

Conteúdo completo

Lista com todas as Edições da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10

Matérias mais comentadas da revista

Projetos
Jardim de Pedra

Paisagista Osmar da Silva e Paulo Henrique Góes

Lista de Projetos

Lista com Todos os Projetos da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10 de Projetos

Lista com 10 projetos mais comentados

Agenda
Agenda

Agenda de Eventos de Paisagismo

Conversar no Whatsapp +55 (32) 9 9138-8279

X

Revista gratuita AuE Paisagismo


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!




Revista no seu E-mail

*
*
*