Pontos importantes sobre o banco de dados de plantas ornamentais da AuE Soluções.

Autor: Marinês Eiterer - Bióloga - Data: 07/06/2004

O reino vegetal está longe de ser totalmente conhecido, entendido e classificado. Muitas espécies -- em particular, aquelas que habitam as regiões tropicais da Terra -- ainda são desconhecidas da ciência. Os processos de identificação, nomeação e classificação são dinâmicos e, por isso, muitas modificações surgem de um ano para outro. Tais modificações são geradas por pesquisas que estão sendo conduzidas no mundo inteiro e cujos resultados posteriormente podem ser consultados pelo numeroso público que trabalha direta ou indiretamente com plantas nativas, exóticas ou cultivadas. Mudanças, portanto, estão mais para regra do que para exceção. Mais especificamente, ocorreram mudanças na nomenclatura de várias espécies de plantas contidas no sistema e, à medida que for necessário, novas mudanças ocorrerão. Nesse ponto, nosso objetivo é manter atualizada a nomenclatura botânica adotada.

Os nomes científicos adotados no sistema foram atualizados. Para isto, utilizamos além de bibliografia impressa corrente, bancos de dados de acesso possível pela Rede, como o IPNI - International Plants Name Index. A grafia dos nomes adotada aqui está de acordo com o Código Internacional de Nomenclatura Botânica, edição de 1999 - Convenção de St Louis.

Além das espécies, quando possível ou necessário, estamos identificando também os taxa infra-especifícos -- isto é, categorias taxonômicas abaixo do nível de espécie. São elas: subespécie, variedade, subvariedade, forma e subforma. Taxa é o plural de taxon, que é o termo estabelecido pelo Congresso Internacional de Botânica, para designar uma unidade taxonômica de qualquer nível hierárquico: família, gênero, espécie, subespécie etc.

Em alguns casos, apresentamos ainda os cultivares, que são variedades de plantas obtidas por meio de cultivo humano deliberado -- isto é, não são variedades naturais. Os nomes dos cutivares é regulamentado pelo Código Internacional de Nomenclatura para Plantas Cultivadas. Aqui no Brasil, os cultivares devem ser registrados no Serviço Nacional de Proteção aos Cultivares (SNPC), do Ministério da Agricultura. Em horticultura, é importante identificar os cultivares corretos, pois cultivares de uma mesma espécie podem exibir arquiteturas, formas, cores (de flores ou folhas) muito diferentes. Exemplos notórios são os cultivares das espécies Acalypha wilkesiana e Codianeum variegatum, que variam tremendamente na forma e na cor das folhas. Outro exemplo muito conhecido são as rosas, que variam muito na cor e tamanho das flores.

Como regra, os nomes botânicos devem ser apresentados da seguinte forma:

Euphorbia milii Des Moul. var. breonii (Nois.) Ursch & Leandri

Onde:

Euphorbia milii - Indica a espécie, deve estar sempre em negrito ou itálico, o primeiro nome com letra maiúscula e o segundo em minúsculo.
Des Moul. - Indica o autor da primeira identificação desta espécie.
var. breonii - var. indica que é da variedade breonii.
(Nois.) Ursch & Leandri - Indica o autor da primeira identificação desta variedade


Compartilhar:


Anterior Próximo


Comentar
Nome:
E-mail:
Comentário:
Avalie está matéria:



---
Botânica
Novidades
Arquivo
Conteúdo completo

Lista com todas as Edições da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10

Matérias mais comentadas da revista

Projetos
Lista de Projetos

Lista com Todos os Projetos da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10 de Projetos

Lista com 10 projetos mais comentados

Agenda
Agenda

Agenda de Eventos de Paisagismo

Conversar no Whatsapp

X

Revista gratuita AuE Paisagismo


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!




Revista no seu E-mail

*
*
*