Recuperação de áreas degradadas: especialistas falam sobre a importância do paisagismo no segmento

Autor: Camila Fonseca - Data: 07/05/2011

Como se tivesse sido esquecido em meio a multidão, o meio ambiente tem sofrido as graves consequências do abandono humano. No entanto, este é um caso que todos já conhecem bem, porém poucos têm ciência do que, de fato, é preciso fazer para lidar com o problema. Afinal, o que não é cuidado, não consegue ser mantido. Mas, então, você pensa: Do que exatamente estamos falando? Essa resposta pode vir carregada de conotações, mas o que se pretende retratar é apenas uma coisa: a recuperação de áreas degradadas no nosso planeta.

Esse tem sido um tema bastante discutido nas últimas décadas e gerado polêmica. Isso, porque grande parte dos atuais empreendimentos demandam construções e reformas, o que leva a alterações conflituosas no ambiente. Dessa maneira, o professor do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental e do Curso de Pós-Graduação em Análise Ambiental da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Homero Soares, explica que qualquer negócio que seja potencialmente poluidor necessita, anteriormente, realizar algum tipo de estudo de impacto. "Dependendo do porte do empreendimento, as medidas mitigadoras a serem implementadas são mais profundas e consomem mais dinheiro. A remoção de solo gera impactos ambientais importantes. A Política Nacional de Meio Ambiente, lei 6932/1980 prevê este tipo de mitigação", esclarece.

 Projeto de Recuperação de Área Degradada


Imagem: Projeto realizado pelo ambientalista Kefren Vianna, contempla a reabilitação da mata ciliar do Rio Paraibuna.

Em contrapartida, ele declara que não são apenas as empresas as grandes impulsoras desse declínio. O homem, em seu cotidiano, também tem sua considerável parcela de culpa. Segundo Homero Soares, viver promove impacto ambiental. "Consumimos água, geramos efluentes domésticos, a produção de bens de consumo gera efluentes industriais, consumimos bens e geramos lixo. A agricultura usa fertilizantes e herbicidas, químicos poluem as águas, o solo, o ar. Todos esses lixos têm que ser dispostos em algum lugar. Queimamos combustíveis fósseis e degradamos a qualidade do ar. A questão é o ritmo com que vimos degradando o meio ambiente em função da pós-modernidade querer vender aos consumidores até a própria mãe", opina.

Para ele, quaisquer ações que visem o consumo individual sustentável, são benéficas para reduzir tal choque. A importância é estarmos, além de cientes, sensíveis a estas questões para deixar de lado a ideia de que nossos recursos são infinitos. Homero Soares entende que o paisagismo, nestes casos, pode, sim, auxiliar na recuperação das áreas degradadas. Mas deixa claro que a iniciativa preservacionista é sempre preferível ao gasto com mitigação ou recuperação. "Precisamos preservar e não degradar para depois consertar. Esse é o objetivo", completa.

Na visão do ambientalista Kefren Klein Lopes Vianna, o Brasil possui uma das mais modernas legislações de proteção ambiental. "Porém aplicar, fiscalizar e executar é o grande desafio da nossa geração", pontua. Em seus estudos, ele avalia que projetos urbanísticos e as demais atividades modificadoras do meio ambiente necessitam passar por análises ambientais, definidas por lei, que são submetidos aos órgãos competentes e, assim, as ações que deverão ser adotadas pelo empreendedor como medida compensatória são demarcadas.

De acordo com Kefren Vianna, nos casos em que a recomposição ou regeneração da área é impossibilitada, a medida adotada é a reposição florestal com espécies nativas em área equivalente à desmatada. "Pode ser doada ao Poder Público no interior de uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, sempre na mesma bacia hidrográfica. O órgão ambiental pode determinar mais de uma forma de compensação ambiental", relata.

 Projeto de Recuperação de Área Degradada


Imagem: Projeto realizado pelo ambientalista Kefren Vianna, contempla a reabilitação da mata ciliar do Rio Paraibuna.


Quando, obrigatoriamente, cabe ao empreendimento a recuperação ambiental, é aplicada uma elaboração de Projetos de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) que contemplam diretrizes para cumprir a legislação ambiental e estabelecer exigências mínimas relativos à reparação de danos ambientais. Nesses projetos serão propostos, por exemplo, a definição do número de espécies vegetais nativas e do número de indivíduos por hectare a ser utilizado na recuperação das áreas alteradas. O ambientalista aclara que esta ação é realizada para que se obtenha maior compatibilidade com a fitofisionomia local. "Neste caso, o projeto de paisagismo se torna uma importante ferramenta na obtenção da coerência nas soluções e obediência às características ambientais e paisagísticas regionais", expõe. Em seu ponto de vista, a atuação do paisagista é fundamental para reabilitar espaços prejudicados e, atualmente, alguns projetos não funcionam apenas por conta de burocracia. "É necessário enviar os planos para leitura do Ibama e nem sempre são aprovados com presteza. ", informa.

Recuperar áreas degradas é um trabalho que exige dedicação e eficiência de diversos profissionais. Nesse sentido, o posicionamento de um biólogo também deve ser levado em consideração. É o caso da bióloga e paisagista Mônica Prado, que avalia o caso em sua forma de atuação. Ela esclarece que cabe a um responsável técnico desempenhar o papel de recomposição de um local de acordo com as necessidades paisagísticas. "No caso de um biólogo, este iria utilizar ferramentas de estudos e conhecimentos em botânica, pedologia (estudo de solos), identificação da área (se esta é, por exemplo, uma mata ciliar), ecologia, entre outros, além de um levantamento preliminar de todas as características físicas, químicas e biológicas existentes na área que foi degradada", ressalva. Assim, o profissional deverá prever e provocar o aparecimento de espécies tanto da flora, quanto da fauna.

É importante estar atendo às diferenças quando se trata de criar um projeto paisagístico e recuperar uma área paisagísticamente. "Dependendo do ponto de vista de cada profissional, criar uma área paisagística seria a elaboração de um projeto numa determinada área, considerando suas características físicas e naturais do ambiente, como por exemplo, elaborar um projeto para ser implantado numa área de praça publica. Já o processo de recuperar uma área paisagísticamente, deve relevar os aspectos dos tipos físicos, químicos, biológicos e naturais do ambiente, considerando que as espécies a serem implantadas não prejudiquem as espécies já existentes", alerta Mônica Prado.
Mais do que se preocupar, deve partir de cada um a iniciativa de inserir hábitos sustentáveis no cotidiano. Cuidar é deixar viver!


Compartilhar:


Anterior Próximo

Anuncie gratuitamente no PaisagismoDigital !

Comentar
Nome:
E-mail:
Comentário:
Avalie está matéria:



1 - Autor: Guilherme Pasini - Data: 01/06/2011 12:00:16

Cada um de nós pode diminuir os impactos ambientais partindo de dentro de casa, utilizando praticas da permacultura. Como pequenas hortas domesticas(Hortalliças, temperos e chás),composteira, sisterna, tratamento de aguas negras e cinzas, e utilizar o maior numero de plantas nativas no jardim.



Obrigado!



2 - Autor: adilson - Data: 13/05/2011 15:20:46




Entrevista
O engenheiro português Bernardo Fleming define as etapas de um bom projeto de rega
O engenheiro português Bernardo Fleming define as etapas de um bom projeto de rega

Bernardo Fleming dá dicas de como fazer um bom projeto de rega

Dicas Técnicas
Aprenda as ferramentas básicas para utilizar o AutoLANDSCAPE
Aprenda as ferramentas básicas para utilizar o AutoLANDSCAPE

Veja como se preparar para utilizar o AutoLANDSCAPE com este guia rápido.

Aprenda as ferramentas básicas para utlizar o PhotoLANDSCAPE
Aprenda as ferramentas básicas para utlizar o PhotoLANDSCAPE

Veja como se preparar para utilizar o PhotoLANDSCAPE com este guia rápido.

HydroLANDSCAPE: Irrigação passo-a-passo parte 6 - Dimensionamento Hidráulico
HydroLANDSCAPE: Irrigação passo-a-passo parte 6 - Dimensionamento Hidráulico

Veja como realizar os cálculos hidráulicos de um projeto de irrigação por aspersão com poucos cliques. HydroLANDSCAPE 2009

Ecologia
Natureza em nós e por nós!
Natureza em nós e por nós!

entenda como os paisagistas vêem a relação entre homem/natureza e a importância de seu trabalho para manter áreas verdes

Recuperação de áreas degradadas: especialistas falam sobre a importância do paisagismo no segmento
Recuperação de áreas degradadas: especialistas falam sobre a importância do paisagismo no segmento

Saiba como são determinadas as ações compensatórias na recuperação de áreas degradadas

Novidades
ANP Anuncia o 3o Concurso Nacional de Paisagismo Urbano

Informações para quem deseja participar do Concurso Nacional de Paisagismo urbano da ANP

Notícias
8 de Maio: Dia das Mães
8 de Maio: Dia das Mães

A AuE Soluções deseja um feliz dia das mães a todas as mamães!

AuE Soluções realiza, por mais um ano, pesquisa de satifação e resultados são positivos

AuE Soluções realiza pesquisa de satisfação e obtém resultados positivos

Bairro de São Paulo é contemplado com estudo para preservação de árvores
Bairro de São Paulo é contemplado com estudo para preservação de árvores

Jardins, região de São Paulo, recebe investimento para estudo de árvores

Ganhe seu convite para a 20º Enflor e 8ª Garden Fair
Ganhe seu convite para a 20º Enflor e 8ª Garden Fair

Acontece, em julho, a 20º Enflor e 8ª Garden Fair em Holambra - São Paulo

Jardim da Leitura (Por Benedito Abbud)
Jardim da Leitura (Por Benedito Abbud)

Conheça o jardim da Leitura, espaço inaugurado com por Benedito Abbud.

Rio Global Green Business é realizado para discutir economia verde
Rio Global Green Business é realizado para discutir economia verde

Rio de Janeiro recebe Bright Green Cities para tratar de tecnologias limpas

Paisagem brasileira de maio: Ponte na Estrada Real entre Ouro Preto e Ouro Branco
Paisagem brasileira de maio: Ponte na Estrada Real entre Ouro Preto e Ouro Branco

Conheça as paisagens que se encontram no interior de Minas Gerais. Ponte na Estrada Real entre Ouro Preto e Ouro Branco

Arquivo
Edição Anterior

Revista AuE Paisagismo Ano 7 No 83 / Abril de 2011

Conteúdo completo

Lista com todas as Edições da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10

Matérias mais comentadas da revista

Projetos
Projeto Firenze

Angela Cristina Herberts Haag

Lista de Projetos

Lista com Todos os Projetos da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10 de Projetos

Lista com 10 projetos mais comentados

Agenda
Conversar no Whatsapp +55 (32) 9 9138-8279

X

Revista gratuita AuE Paisagismo


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!




Revista no seu E-mail

*
*
*