Entrevista com o Paisagista Jades Spagnhol

Autor: Adriana Corrêa - Data: 07/08/2004

Apesar de ter concluído o curso de Economia no Instituto de Ciências Aplicadas de Limeira/SP, Jades José Spaghnol se encantou foi pelo trabalho de paisagismo. Desde então, há 22 anos, ele decidiu que se dedicaria à nova carreira. E foi assim que surgiu a Spagnhol Plantas Ornamentais*, atualmente reconhecida pelo belo trabalho em paisagismo e cultivo dos mais diversos tipos de plantas ornamentais do país. A empresa desenvolve tecnologia em produção de mudas em laboratório, onde são cultivadas em vitro e, posteriormente, em estufas e campos. Em entrevista para a Revista Digital AuE Soluções, Jades Spagnhol contou um pouco da sua história e atuação como paisagista, sobretudo nos municípios de Cordeirópolis, Araras, Rio Claro e Limeira, em São Paulo.

AuE: Como começou na profissão de paisagista?
Spagnhol: Comecei por intermédio do meu pai, Guilherme Spagnhol, um dos primeiros produtores de mudas frutíferas da região de São Paulo. Ele trabalhou na Secretaria de Agricultura e Abastecimento até 1978, produzindo e distribuindo mudas para agricultores de diversas regiões. Em 1982 começamos a trabalhar juntos. Foi nessa época que eu decidi me dedicar ao paisagismo. Logo depois, inauguramos a Spagnhol Plantas Ornamentais, onde desenvolvemos um trabalho voltado para a produção de variadas espécies de plantas para jardins e decoração.

AuE: Os seus trabalhos seguem algum estilo?
Spagnhol: Não. O cliente escolhe o estilo. Para tanto, contamos com uma equipe capacitada a trabalhar com diversos tipos de ornamentos para residências e empresas. Nossa especialidade são as plantas ornamentais. Aquelas que se distinguem pelo florescimento, forma ou colorido das flores, folhas ou aspecto geral da planta. Elas preenchem os espaços livres e adaptam-se a recipientes de enfeite, estabelecendo com o mundo moderno o contato mínimo do homem com a natureza.

AuE: Na sua opinião, o que caracteriza um bom projeto?
Spagnhol: A harmonia das cores. Na minha opinião, a forma como as cores são trabalhadas influencia diretamente no resultado do projeto. Elas são as grandes responsáveis pela identificação com o perfil do cliente. A maneira como são dispostas nos permite criar o ambiente desejado. Portanto, o segredo é saber utilizar a luminosidade e as cores de cada elemento do jardim, valorizando os pontos fortes em detrimento dos obstáculos encontrados. Se o paisagista conseguir essa harmonia, então o trabalho foi bem feito.

AuE: É utilizado algum recurso na criação dos projetos? Qual?
Spagnhol: Sim. Procuro utilizar todos os recursos que possam facilitar a concepção e execução dos meus projetos. Por isso, hoje, o computador é uma ferramenta indispensável no meu trabalho. Programas como o AutoLANDSCAPE e PhotoLANDSCAPE têm me auxiliado bastante, principalmente no que diz respeito a representação gráfica das minhas criações paisagísticas. Arquitetos, paisagistas e demais profissionais que atuam na área não utilizam mais os antigos utensílios de trabalho: réguas, esquadros e pranchetas. A tecnologia foi criada para nos auxiliar e não usufruir dos benefícios que nos são oferecidos é retrocesso.

AuE: Com que freqüência costuma usar os softwares AutoLANDSCAPE e PhotoLANDSCAPE? Por quê?
Spagnhol: Uso em praticamente todos os projetos. No AutoLANDSCAPE a criação do projeto é mais rápida e fácil. É possível ter a dimensão exata da área a ser trabalhada e dos ornamentos escolhidos para o local, o que me permite experimentar materiais e disposições com precisão. Além disso, o programa nos poupa tempo e serviço e a qualidade é visivelmente superior. Na apresentação ao cliente, uso o PhotoLANDSCAPE para simular como vai ficar a paisagem em questão. Isso me dá liberdade para modificar o trabalho, estimulando novas concepções criativas.

AuE: Qual o seu último projeto?
Spagnhol: Um dos meus últimos projetos foi a elaboração de um jardim no Condomínio Residencial São Conrado, em Araras, São Paulo. O trabalho, executado na residência do Sr. Henrique C. Lopes, levou dez dias para ficar pronto. A inspiração veio da própria simetria da casa. Procurei integrar o jardim ao imóvel já costruído. Para alcaçar essa harmonia, o importante foi respeitar o estilo do espaço ao inserir um novo componente na paisagem. Em uma arquitetura clássica, a quantidade, a forma como são dispostas e os tipos de plantas utilizadas devem seguir os mesmos parâmetros. A entrega foi feita no dia 24 de junho de 2004.

Spagnhol Plantas Ornamentais spagnhol
*Chácara Guimajotas,
Bairro do Cascalho - Cordeirópolis/SP.

Confira um dos mais recentes projetos de Jades Spagnhol.




Compartilhar:



eBook: Planta baixa técnica x Planta humanizada em paisagismo

Comentar
Nome:
E-mail:
Comentário:
Avalie está matéria:



1 - Autor: maria claudia - Data: 20/05/2009

o paisagista faz brilhantemente seu trabalho porque usa inspiração e emoção em suas execuções. Eu gostaria de publicar algo desse profissional em minha revista, por favor entre em contato.




Entrevista
Dicas Técnicas
Novidades
Arquivo
Edição Anterior

Revista AuE Paisagismo Ano 1 No 2 / julho de 2004

Conteúdo completo

Lista com todas as Edições da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10

Matérias mais comentadas da revista

Projetos
Parque Urbano Ibitinga SP

Ulisses Uliana Bething

Praça das Colunas Serra ES

Ulisses Uliana Bething

Parque Capivari

Ulisses Uliana Bething

Lista de Projetos

Lista com Todos os Projetos da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10 de Projetos

Lista com 10 projetos mais comentados

Agenda
Conversar no Whatsapp +55(32)3217-1501

X

Revista gratuita AuE Paisagismo


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!




Revista no seu E-mail

*
*
*