RSS

Revista Paisagismo


Revista
AuE Paisagismo Digit@l

Paisagismo Auxiliado por Computador

ISSN 1982-8969
Publicação mensal - Ano 6 Número 61 / Junho de 2009



Entrevista
A paisagista Marize Faleiro fala sobre a importância da manutenção nos projetos paisagísticos
 
Guilherme Motta, diretor da AuE Soluções, fala sobre a empresa e o mercado de paisagismo
 
O coronel Roberson Bondaruk fala sobre como prevenir crimes através do paisagismo


AuE Network
Novas Plantas no Paisagismo Digital e AuE Network


Dicas Técnicas
PhotoLANDSCAPE 2009: Como fazer uma bordadura de plantas
 
AutoLANDSCAPE: Trabalhando com HACHURAS x UNIDADES
 
Configuração do Sistema AuE no anti-vírus AVIRA
 
Tirando dúvidas no HELP e no Guia do Usuário


Ecologia
Palmito Juçara: o consumo está levando a espécie à extinção


Novidades
Novos Planos de Fundo Gratuitos para download!
 
Upgrade de Softwares - Novidades para quem já é cliente


Notícias
Dia Mundial do Meio Ambiente
 
Visite-nos na 6ª Garden Fair
 
ABAP comemora centenário de nascimento de Burle Marx
 
AuE Soluções patrocina 1o Concurso Nacional de Paisagismo
 
Revista AuE Paisagismo Digit@l comemora 6 anos


Edições Anteriores
Edição Anterior: Ano 5 Número 60 / Maio de 2009

Lista com todas as Edições da Revista Paisagismo Digit@l

Top 10 - Matérias


Blog Paisagismo Digital
Meio Ambiente: De quantas árvores você precisa para viver?29/06/2015 - Regina Motta
Dois chineses,um cego e outro sem os braços, plantam mais de 10 mil árvores23/06/2015 - Fernando Pereira
Iluminação no paisagismo10/06/2015 - Marcos Cocco
Projetos

Projeto Hotel Quality
13/03/2015 - Paulo Castellano
 
Lista com Todos os Projetos da Revista Paisagismo Digit@l
 
Top 10 - Projetos


Agenda
52 Congresso Mundial de Arquitetos Paisagistas - IFLA 201507/06/2015 - 15/06/2015
HORTITEC 2015 - Exposição técnica de Horticultura, Cultivo protegido e Culturas Intensivas17/06/2015 - 19/06/2015
Festival Internacional de Jardins de Metis Canadá - Festival Internacional de Jardins de Metis Canadá27/06/2015 - 27/09/2015


 
Envie sua matéria
Você pode contribuir com a revista. Preencha o formulário abaixo para sugerir uma matéria.
Seu nome:

Seu e-mail:

Matéria:


Ecologia


Palmito Juçara: o consumo está levando a espécie à extinção
Autor: Anita Cid - Data: 01/06/2009


Capitular Você sabia que mudando alguns hábitos de consumo podemos preservar o meio ambiente e salvar espécies que estão em extinção? Por isso, iniciaremos este mês uma série que abordará estes hábitos e como que todos nós somos responsáveis pela proteção e salvação do planeta.

Palmito JuçaraMuitos de nós não imaginamos que o simples ato de abrir um vidro de palmito pode ser responsável pela destruição de várias árvores seriamente ameaçadas de extinção. O palmito é uma iguaria fina, valiosa e de grande aceitação no mercado, tanto no Brasil como no exterior. Corresponde ao produto comestível, extraído da extremidade superior do tronco de certas palmeiras, constituindo-se de folhas jovens, internas, ainda em desenvolvimento, envolvidas pela bainha das folhas mais velhas. No entanto, o ciclo destas palmeiras é longo - o palmito leva de oito a doze anos para alcançar o tamanho de corte - e cada palmeira produz somente um único palmito de menos de 20 cm de comprimento, sendo que a coleta implica necessariamente na morte da planta. Fatos estes que colocaram em extinção as palmeiras produtoras de palmito.

No Brasil, várias palmeiras produzem palmito comestível. Entre elas, a espécie mais conhecida e apreciada é a Euterpe edulis, comumente chamada de palmito Juçara ou Jiçara, produtora do palmito branco. O extrativismo extensivo desta espécie não só coloca em risco sua existência como de outras espécies da flora e da fauna. Segundo os especialistas, a Euterpe edulis é uma espécie-chave na ecologia da Mata Atlântica. Ela está na base da cadeia alimentar de dezenas de seres vivos, seus frutos e sementes são importantes para a sobrevivência de várias espécies de aves, roedores e até de macacos. Esses animais, por sua vez, participam da dispersão das sementes da planta por toda a floresta. Desse modo, a derrubada das palmeiras juçara afeta em vários níveis os processos ecológicos, fragilizando ainda mais os escassos remanescentes da Mata Atlântica.

Devido à grande exploração, atualmente existe menos de 8% da área original de plantação de Palmeira Juçara. Além da depredação do meio ambiente, a exploração predatória desse produto também traz graves riscos à saúde do consumidor. Sendo uma atividade ilegal e criminosa, os palmiteiros, pessoas responsáveis pela corte das palmeiras, roubam o palmito e o embalam sem cuidados de higiene. Os palmitos são levados aos acampamentos e cozinhados em condições pouco higiênicas. Então, são envazados e transportados para fábricas clandestinas onde recebe um vidro e rótulo.

Uma boa alternativa para este problema é o consumo de outras espécies de palmito, produzidos por outros tipos de árvore como a palmeira real da Austrália, pupunha e açaí. Espécies estas que são cultivadas em plantações próprias e são próprias para consumo. Quando for consumir palmito procure saber a sua origem e faça também a sua parte na proteção do meio ambiente.



Email

Anuncie gratuitamente no PaisagismoDigital !

No de avaliações: 32 - média : 4,3 Bom

 

Enquete
Qual seção você lê com mais frequência?






 

Todas as enquetes


0 ms

AuE Software
Todos os direitos reservados à AuE Soluções - (32) 3217-1501 - aue@auesolucoes.com
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.